Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bibliotecas Cool

Observar - Ler - Sentir - Ouvir - Refletir

Bibliotecas Cool

Observar - Ler - Sentir - Ouvir - Refletir

24.Mar.21

Ser Escritor é Cool - Resultados do 3º Desafio | Ensino Secundário

Os vencedores do 3º Desafio do Ensino Secundário do concurso de escrita "Ser Escritor é Cool" já foram encontrados. Relembramos quo o tema deste desafio era "Tudo me incomoda! Até os ativistas... O que posso fazer?"

chang-duong-Sj0iMtq_Z4w-unsplash.jpg

 

Dos 9 trabalhos a concurso, houve 629 votos do público e inúmeras partilhas, leitura dos textos e visualizações dos vídeos a concurso.

 

Os vencedores deste 3º desafio foram:

1º LUGAR - Cristina Cargaleiro – Agrupamento de Escolas de Bonfim

2º LUGAR - Ana Vieira e David Reia – Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão

3º LUGAR - Foi atribuído a 2 trabalhos que obtiveram a mesma pontuação:

  • Ana Fernandes e Margarida Soares – Agrupamento de Escolas de Constância
  • Laura Galvão – Agrupamento de Escolas de Mora

 

Para que possa voltar a ler os textos dos Escritores Cool vencedores deste 3º desafio, aqui ficam os trabalhos.

1º LUGAR - Cristina Cargaleiro – Agrupamento de Escolas de Bonfim

Barulho 

Uma teimosa luz se esbate entre as gastas persianas. O barulho ensurdecedor me tortura, trânsito da hora de ponta, os vizinhos aos gritos, o de cima está em obras, as pessoas na rua, parecem ativistas em manifestação mas já me estou pouco marimbando para banalidades desse tipo, é apenas barulho, irritante e constante. E não termina. E parece que dentro da minha cabeça grita. E a tortura continua, nem os meus pensamentos consigo ouvir. 

Cresci num apartamento pequeno, um minúsculo habito agora. Livrei-me do barulho de irmãos pequenos( apesar disso, gosto muito deles mas dói-me a cabeça e tudo incomoda de momento) sou um adulto independente agora e tudo à minha volta é um inferno barulhento, saudades do ruído intenso que quatro gémeos mais novos faziam outrora… 

Preciso de fugir daqui! «E vais para onde?» Pois, mal chego ao fim do mês, bem visto…Mas não posso continuar aqui. Preciso de paz e não a vou encontrar aqui. 

Ligo o computador e pesquiso por um lugar calmo para descansar mas está tudo esgotado ou fora do orçamento suportável! Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! Ah, boa, não se partiu. 

Procuro uma música de meditação e ligo-a no máximo mas não abafa o som e a melodia é aborrecida e irrita… 

Bate alguém à minha porta. Desligo a música e engulo o resmungo até que se vá embora. Como que martelinhos dentro dos meus ouvidos, a campainha toca. Já acalmou a hora de ponta. Tinha me esquecido que tinha cravado o ruído da hora de ponta, à esquerda da minha porta. Conto carneiros, segurando as mãos e cerrando os dentes e nos mil foi-se finalmente embora quem estava do lado de fora. 

O telemóvel toca. Não vou atender agora! 

Saio para correr e ao meu lado gritam-me dos restaurantes e lojas. É quase hora de jantar, nas próximas horas o barulho só piora. 

Bem, pelo menos os passeios estão vazios, se escolher um percurso longo, não me restará energia nenhuma para pensar no barulho. Nem em mais nada, enfim, é assim, acho que vou pagar esse preço… 

 

2º LUGAR - Ana Vieira e David Reia – Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão

Tudo me incomoda! Até os ativistas...

 

3º LUGAR - Ana Fernandes e Margarida Soares – Agrupamento de Escolas de Constância

Contra ou a favor do ativismo? 

Em novembro, já o primeiro período ia a meio, o professor de Geologia do João Maria decidiu colocar um vídeo, durante a aula, sobre os importantes ativistas no ramo do ambiente. No final do mesmo, os alunos fizeram um debate no qual mostraram a sua posição relativamente ao tema abordado. 

O Afonso (um aluno da turma), como não sabia muito sobre o assunto, perguntou curioso: 

-O que é um ativista do ambiente? 

-Chama-se ativista ambiental a uma pessoa que luta, muitas vezes através de manifestações e protestos, pela proteção e preservação tanto do meio ambiente como dos seres vivos que ali habitam.- explicou o Professor. 

-Eu sou a favor. - disse o João Maria- Sabe, professor, eu pertenço a um grupo de ativistas e acredito que todos juntos com a nossa atitude de mudança e com a força da nossa palavra vamos conseguir mudar as mentalidades das pessoas. 

-Já que estás a par do tema, porque não nos dizes um nome de algum manifestante importante?- questionou o Professor. 

-Gisele Bundchen, embaixadora ambiental da ONU, criou um blog "Verde" em 2008 com o intuito de fazer com que as pessoas pensem em questões socioambientais. Apoiou uma diversidade de causas ambientais, como por exemplo iniciativas de águas limpas, sustentabilidade ambiental e preservação de florestas tropicais da América do Sul. 

Como todas as pessoas têm direito à sua liberdade de expressão e a terem a sua opinião, houve quem discordasse e fosse contra o ativismo. 

Amália (também colega de turma do João Maria) disse: 

-Eu sou contra qualquer movimento ativista. Tudo o que tenha haver com essa temática me irrita. 

-Então porquê? – perguntou o Professor indignado. 

-Acho as pessoas muito hipócritas, fingem que se preocupam para parecer bem e se for preciso são as primeiras a poluir ou a fazerem mal aos animais. E não só, aqueles ativistas radicais enervam-me muito, alguns levam as suas atitudes a extremos nunca antes vistos devido às suas fortes convicções. 

-Muito bem Amália. Como podemos observar, cada um de vocês tem a sua opinião e os seus argumentos para aquilo em que acredita e defende. Para acabar a aula gostava que refletissem sobre estra frase “As palavras tem o poder de curar ou destruir. Quando as palavras são verdadeiras e generosas, elas podem mudar nosso mundo.” 

 

3º LUGAR - Laura Galvão – Agrupamento de Escolas de Mora

Tudo me incomoda! Até os ativistas... O que posso fazer?

Entendo aquilo que dizes, também tudo me incomoda, com isto de ter de ficar em casa constantemente, ainda pior, tudo me irrita. Mas, espera aí, os ativistas? Como é que eles te incomodam? Sabes que eles estão a lutar pelos nossos direitos, certo? Bem, vou convencer-te a gostares de ativistas (suponho que não gostes muito deles para te incomodarem tanto).

Primeiramente, pergunto-te: sabes qual é a definição de “ativista”? Significa “Pessoa que trabalha de modo ativo, eficiente, na prática por uma causa, falando especialmente de um interesse coletivo”, normalmente, esse interesse coletivo é algo que pode beneficiar a sociedade, como é que pessoas que lutam por nós, para o nosso bem, para criar uma sociedade justa e igualitária, te podem incomodar? Eu sei que às vezes parece que não estão a lutar por nada, ou por coisas que parecem resolvidas, mas a verdade é que nada está resolvido.

Foram ativistas como a Carolina Beatriz Ângelo, uma médica feminista que fazia parte da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas (nesta liga também temos Adelaide Cabete, Maria Benedita Mouzinho de Albuquerque Pinho, Elzira Dantas Machado, Virgínia Quaresma e entre muitas outras) que lutaram pelos direitos que hoje temos e que, infelizmente, muitas mulheres os tomam como garantidos, sabias que ainda hoje, em pleno século XXI, as mulheres têm de trabalhar mais um mês para terem o mesmo rendimento que um homem? Desigualdade de gênero é real e magoa-me que existam mulheres que acreditam que temos os mesmos direitos. Um homem não é despedido por ser pai, mas há mulheres que são despedidas por ficarem grávidas e por serem mães.

No entanto, antes de lutarmos por algo, temos de nos informar, ou então passamos por idiotas como as pessoas que vandalizaram a estátua do Padre António Vieira, este Padre foi das pessoas que mais lutou pelos índios brasileiros, ele era contra a colonização, mas em Portugal existem muitas pessoas que apoiam o “politicamente correto” sem nunca terem feito o 11º ano.

Eu própria considero-me uma ativista, faço o que posso para tornar o mundo num lugar melhor para todos, nem que seja assinar petições, não parece muito, mas eu espero que realmente ajude. Nunca se é muito novo para lutar pelos nossos direitos e acredito que se pararmos de lutar os nossos direitos são nos roubados num abrir e fechar de olhos.

Para concluir, só te digo que a melhor maneira de não seres incomodado pelos ativistas é encontrares algo que te motive e por que possas lutar, sabes como aquele ditado: “Não os consegues vencer, junta-te a eles”, é isso mesmo que eu apoio, mas informa-te, não lutes por algo que não conheces ou que não tens a certeza.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.