Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bibliotecas Cool

Observar - Ler - Sentir - Ouvir - Refletir

Bibliotecas Cool

Observar - Ler - Sentir - Ouvir - Refletir

30.Jan.20

SER ESCRITOR É COOL | 1º Desafio | Trabalhos Pontuados - 3º ciclo

Divulgamos os primeiros trabalhos pontuados. Parabéns a todos.

3º ciclo 

AE  de Ponte Sor 

Benedita, Constança, Eva e Raquel

Benedita, Constança, Eva e Raquel_ESPS-page-001.j

 

AE nº3 de Elvas

Carlota Brinquete

Teresa Pinto Lucas

81610392_454110895468818_851515087914008576_n.jpg

 

AE José Régio, Portalegre

Bernardo Renga

"A menina e o caminho dourado


Era uma vez, uma menina que gostava muito, mas muito de passear.
Certo dia, num dos seus passeios, encontrou uma moeda dourada e, no
caminho que seguia, havia muitas mais. A menina como não sabia o que fazer;
tentou apanhar as moedas, mas as moedas evaporavam-se. Ela pensou que no
final do caminho haveria um tesouro...
Então, no meio do caminho, encontrou uma fada que lhe disse para não
continuar a seguir as moedas. No final do caminho, deparou-se com uma gruta
e decidiu entrar.
Lá no fundo da gruta, ela viu um urso e tentou fugir, mas voltou para trás ao
perceber que o urso falava.
O urso explicou-lhe que ele não fazia mal e que tinha o poder de fazer
ilusões. Explicou-lhe, também, que o seu poder servia para fazer as pessoas
serem suas amigas.
A menina perguntou, então, porque é que ele usava moedas douradas para
chamar a atenção e o urso respondeu:
- Sabes, é que hoje em dia as pessoas só se interessam por riqueza, mas
depois, quando percebem que é uma ilusão, afastam-se de mim.
Ficaram amigos. A menina contou a todos os seus amigos que o urso só
queria ter amigos. Juntaram-se e tiveram a ideia de ir à gruta do urso para uma
tarde de muita diversão."

Oiça o texto na voz do autor:

 

AE  nº2 de Abrantes

Beatriz Grácio

"A minha melhor amiga

À minha frente, mora a minha melhor amiga. Mesmo que não falemos cara a cara, há uns seis meses, continuamos a ter uma ligação especial, e ainda falamos, mas frente a frente é que não o podemos fazer. Os nossos pais zangaram-se, há uns anos, e a minha mãe diz que ela é uma má influência para mim, que é igual ao pai, que eu não me devo relacionar com ela…

Como a minha mãe não me deixa falar com a Raquel, nós tivemos de arranjar uma maneira para comunicar. Atámos uma corda, da janela do meu quarto ao dela, e é por lá que mandamos cartas uma outra, fazendo um furinho no envelope e enfiando lá o cordel; depois, é só deixar que a carta deslize e chegue ao outro quarto. Até agora, nenhum dos nossos pais descobriu. Eles andam sempre tão apressados que ainda nem repararam na corda…

A Raquel é lindíssima! Tem olhos verdes, cabelos loiros e compridos. Os lábios avermelhados e carnudos sorriem sempre que nos vemos à janela, o que só acontece de madrugada, quando os nossos pais já estão a dormir… "

Oiça o texto na voz da autora:

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.